Grupo do Polo Artístico-Cultural analisa a farsa teatral


O Polo Artístico Cultural (PAC), interligado à Fundação Jürgensen, iniciou há um mês um trabalho de pesquisa sobre a farsa, um gênero dramático predominantemente de baixo cômico, de ação trivial, com tendência para o burlesco (ridículo); e que se inspira no cotidiano e no cenário familiar e é o mais irresponsável de todos os tipos de drama. O elenco, formado por Ari Moura, Cleiton Carlos, Jaqueline Ramirez, Kiô Ramirez e Rafael Guimarães, analisa e discute textos científicos sobre este tema, além de realizar a montagem de duas esquetes. “Os atores colocam em prática o que aprendem nos textos. Esta é a forma que encontramos para trabalhar a fim de garantir um aprendizado satisfatório”, disse o professor Anselmo Dequero. O resultado parcial da atividade poderá ser prestigiado no Tem Sarau, evento do Núcleo que será realizado no sábado, 25/6, às 20h. “O elenco se dividiu para apresentar ‘Mulher Digital’ e ‘Efebo Tratista’, duas esquetes – texto de curta duração – que tratam especificamente da farsa. Esta atividade prática está na programação oficial do evento, que terá preços populares”, complementou.

Curta e inscreva-se no canal de humor mais abençoado do Brasil

Os melhores vídeos disponíveis para você na maior e melhor plataforma do gênero em nível mundial. Clique aqui!