LGBT: Artista utiliza HQ para falar sobre processo de transição


Representatividade e visibilidade importam (e muito)! E se a grande mídia e os produtos culturais em geral ainda não contemplam, de forma significativa, parcelas da sociedade, o jeito sempre foi se inspirar em canais alternativos. Esta, por exemplo, a opção de Luíza Lemos, mulher trans, escritora e cartunista. A artista é autora de Transistorizada, HQ dedicada a contar, de forma lúdica e com humor ácido, como foi “sair do armário” e iniciar o processo de transição como mulher trans. Além disso, a publicação aborda temas como homossexualidade, feminismo e preconceito. “A intenção sempre foi promover o debate e dar visibilidade às populações transgêneros e transexuais”, disse a artista. Luíza Lemos acredita que o humor é muito importante para falar de assuntos polêmicos, mas faz uma ressalva: “O humor precisa ser a voz do oprimido contra o opressor. Uma coisa que critico muito é um discurso de liberdade de expressão que é feito em várias áreas do humor que reforça estereótipos negativos. Esse tipo de humor só funciona para sacanear quem já está por baixo.” Atualmente, a HQ é publicada num blog e em uma página no Facebook, mas agora Luíza Lemos pretende lançar uma versão impressa. Para isso, a cartunista realiza uma campanha colaborativa, uma espécie de “vaquinha on-line”, a fim de arrecadar fundos para tornar esse sonho uma realidade. Banco de Imagens

Para saber mais e colaborar, clique aqui.

Curta e inscreva-se no canal de humor mais abençoado do Brasil

Os melhores vídeos disponíveis para você na maior e melhor plataforma do gênero em nível mundial. Clique aqui!