"Geloteca Thaís Vive" incentiva a cultura e alerta para o feminicídio em Campinas

 

Uma geladeira sobre o canteiro central de um movimentado sistema viário localizado no Jd. São Marcos, em Campinas, tornou-se parte de um inovador projeto sociocultural. Com pouco mais de um ano, a iniciativa resultou na implantação de uma minibiblioteca comunitária, considerada uma das principais referências de cultura popular e de manifestação contra o feminicídio.

A “Geloteca Thaís Vive”, como passou a ser conhecida entre a comunidade, reúne diversos títulos de livros e revistas, bem como panfletos informativos sobre meio ambiente, saúde e segurança pública. Todo material foi doado no último ano por pessoas que encontram no local uma alternativa às bibliotecas tradicionais – não existe nenhuma biblioteca pública instalada naquela região.

A geladeira está em uma área sobre seis paletes - estrados de madeira – e com cinco caixotes que servem como bancos para os leitores. As plantas também contribuem para transformar o local num “centro de convivência”! Muitos vasos são feitos com material reciclado, como baldes, latas e pneus.

Do outro lado do canteiro central, que fica entre a Rua Felinto de Almeida e a Av. Comendador Aladino Selmi, o leitor poderá encontrar uma mesa com cadeiras dispostas sob uma estrutura de madeira – bastante parecida com um pergolado – e, claro, referências à Thaís Fernanda Ribeiro, morta com 11 tiros pelo ex-namorado poucos dias depois de completar 21 anos de idade.


Banco de Imagens

 

Geloteca
Não existe controle sobre a retirada de livros e revistas da “Geloteca Thaís Vive”; também não há sistema para recebimento ou catalogação de títulos doados pela comunidade. Apesar de oferecer toda estrutura para leitura no local – que pode até parecer estranha entre tantos veículos –, o interessado pode levar o que quiser para casa. “Você retira o que precisa e doa o que já leu!”

Na extensão de parte do canteiro central, no entanto, há muitas faixas “sugerindo” que as orquídeas (e demais plantas) sejam preservadas. É inacreditável que algumas pessoas parecem estar “dispostas” a estragar tudo o que foi realizado no local pela família de Thaís Fernanda Ribeiro. Lamentável!

 

 Anselmo Dequero, do PoloAC, visita Geloteca em 14 de Junho de 2020.


Crime
Thaís Fernanda Ribeiro foi morta a tiros pelo ex-namorado, que não aceitava o fim do relacionamento; ela foi a quarta vítima de feminicídio em Campinas, em 2019. O crime ocorreu na casa do assassino, na Rua Elza Monnerat, região do Teckno Park, próxima ao CDHU San Martin. O assassino fugiu, mas acabou preso pela Polícia Civil em Santo André, na Grande São Paulo.

 

 

Please reload

Criatividade

Blog mostra trabalho

de artistas de rua 

Nesta sessão do site, um pequeno relato do trabalho artístico a partir de imagens captadas pelas vias das nossas cidades. Confira!

Educação

Oficinas Culturais ampliam atividades artísticas

PoloAC possui cursos de formação rápida em artes cênicas (dança e teatro) e também de comunicação (cordel e fanzine). Participe!

Documentário

Trabalho mostra ato de violência contra artista 

Material produzido em 2012 relata a trajetória de Sasha Zimmer, que foi hostilizada por publicar foto com outro homem. Assista!

Comunicação

Agência possui trabalho especializado em cultura

AG Pratique atua há seis anos na promoção e na divulgação de eventos culturais. A empresa é parceira do PoloAC. Contrate!